Histórias
de Impacto

quinta, 01.04.2021

Pedro e a mãe, Ana Carolina, encontraram um novo lar no GRAACC: 'Ele liga o hospital à Brinquedoteca!'

Por Laura Guerra

Fotografia: acervo pessoal
Fotografia: acervo pessoal

Em julho de 2018, Pedro Zschaber, então com 2 anos, foi diagnosticado com um tumor nos olhos, chamado retinoblastoma bilateral. O oftalmologista do menino indicou que a família, de Belo Horizonte, buscasse tratamento em São Paulo. Já na capital paulista, eles procuraram o Hospital Samaritano e depois, quando surgiu uma vaga, foram transferidos para o Hospital do GRAACC. "Fiquei muito surpresa com toda a estrutura deles", afirma a mãe do menino, Ana Carolina.

No GRAACC, Pedro realizava a quimioterapia intra-arterial, aplicada diretamente no tumor. Como o procedimento acontecia a cada 28 dias, a família não precisou mudar de cidade. Mesmo assim, acharam um novo lar no hospital. "Para mim, o diferencial do GRAACC é o aconchego. É um hospital muito humano", conta Ana Carolina. 

O ambiente humanizado marcou também a percepção de Pedro. "Ele liga o GRAACC à Brinquedoteca. Ali ele fez muitas amizades", relata a mãe, que também comenta sobre o carinho e profissionalismo dos médicos, enfermeiros, voluntários e outros funcionários do hospital.

Pedro completou o tratamento com sucesso. Ele seguiu em acompanhamento, o que permitiu que, no início de 2021, quando o retinoblastoma voltou, ele recomeçasse rapidamente o tratamento. "Estamos esperançosos que a cura esteja próxima", diz Ana Carolina.

"Para mim, o diferencial do GRAACC é o aconchego. É um hospital muito humano."

Histórias relacionadas

 voltar para impacto