Histórias
de Impacto

quarta, 11.03.2020

Em feira de adoção do Projeto CEL, a família de Andreza cresceu e multiplicou o amor

Por Joana Darc Leal

Fotografia: acervo pessoal
Fotografia: acervo pessoal

Durante muito tempo, Andreza Prado, de 34 anos, teve um fiel companheiro, o pitbull Reiko. "Ele chegou em um momento muito especial da minha vida e, quando se foi, fiquei bastante chateada. Reiko era o 'bebezão' da casa", conta Andreza. Alguns dias após a partida do seu querido amigo, Giovanna, sua filha de 7 anos, pediu um novo cãozinho de estimação. Na época, a mãe da Andreza, Priscila, contou a ela sobre a feira de adoção realizada semanalmente, na loja da Petz Marginal Tietê, na capital paulista, pelo Projeto CEL - que que resgata cães e gatos abandonados e os encaminha à adoção. "Por que você não vai lá? Tem vários cachorros para adoção, dá uma olhadinha, talvez você encontre o bichinho que está procurando", relembra Andreza, sobre o incentivo da mãe.

Dias depois, na feira, Sara, uma sapeca cachorrinha, logo ganhou o coração de Giovanna. "Minha filha viu Sara toda travessa, como sempre é, e se apaixonou", diz Andreza. Naquele dia, ainda não sabiam da história da cachorrinha que, antes de ganhar um novo lar, havia sido abandonada no abrigo do Projeto CEL porque não conseguia mais andar com as patas traseiras. Graças ao cuidado recebido na instituição, Sara se recuperou e passou a conseguir correr e pular por aí - justamente o que chamou a atenção de Giovanna.

A cadelinha arteira, porém, não foi o único membro que chegou à família de Andreza naquele dia. O marido dela, Marilucio, que também estava na feira de adoção, passou longos minutos observando Shadow, um cachorrinho simpático que estava entretido mordendo uma bola. Marilucio, então, apontou o cão e pediu a esposa: "Leva esse aqui também. Olha como ele é bonitinho e bonzinho". Assim, pais e filha voltaram para casa com dois novos amigos.

Andreza conta que a Sara e o Shadow devolveram a ela a alegria perdida por não ter mais um cachorro. "Eles são muito alegres. O Shadow é super carinhoso, ama abraçar, e a Sara é uma grande brincalhona", afirma. E, apesar das personalidades diferentes, os dois cachorrinhos convivem muito bem, entre si e com os outros animais da casa - três gatos e mais um cachorro, que foi resgatado pela família e também ganhou um lar feliz. Sobre a escolha de adotar, Andreza garante que foi a melhor possível: "A gratidão e o amor que eles têm pela gente, depois que os ajudamos, não tem preço".

"Eles são muito alegres. O Shadow é super carinhoso, ama abraçar, e a Sara é uma grande brincalhona."

Histórias relacionadas

 voltar para impacto