Histórias
de Impacto

segunda, 01.03.2021

Com a ajuda da Obra do Berço, Aline ganhou autonomia e foi selecionada em programa de mentoria de grande empresa

Por Laura Guerra

Fotografia: acervo pessoal
Fotografia: acervo pessoal

Aos 6 seis meses, Aline Leão Dias foi diagnosticada com epilepsia, o que prejudicou levemente seu desenvolvimento intelectual e motor. No início de 2019, sua mãe, Maura da Rocha Leão, de 49 anos, decidiu matricular a filha no Centro para Juventude da Obra do Berço.

Aline tinha 16 anos, e começou a evoluir cada vez mais: superou sua timidez, começou a se alimentar de maneira mais saudável e aprendeu a interagir melhor com outras pessoas. Lá, ela também teve contato com o mundo profissional por meio dos Observatórios Corporativos, visitas realizadas em empresas para complementar a formação profissional dos jovens. "Aprendi a me portar em uma apresentação e em uma entrevista", diz Aline, que foi selecionada, durante o período de pandemia, para um programa de mentoria on-line patrocinado por uma empresa parceira da Obra do Berço, o Grupo Incense, de O Boticário. 

Por causa da condição de Aline, Maura sempre foi muito protetora. Com a Obra do Berço, ela passou a confiar mais nas habilidades da filha. "O apoio da Obra foi muito importante, só tenho a agradecer", conta a mãe. Aline, de 17 anos, pensa o mesmo: Aprendi muita coisa e tenho mais autonomia". 

 

"Aprendi a me portar em uma apresentação e em uma entrevista!"

Histórias relacionadas

 voltar para impacto