IPE - Instituto de Pesquisas Ecológicas

O IPÊ - Instituto de Pesquisas Ecológicas - trabalha pela conservação da biodiversidade do país, por meio da ciência, educação e negócios sustentáveis. Ajudando a natureza e a vida das pessoas.

R$ 16.003,40
Doados pela MOL até agora!

Projeto Semeando Água

O Projeto Semeando Água atua em 8 municípios que influenciam a produção de água no Sistema Cantareira. Com o objetivo de melhorar a qualidade ambiental da região que alimenta um dos maiores sistemas de abastecimento do mundo, o projeto capacita pequenos proprietários para uma produção sustentável, realiza educação ambiental, políticas públicas e comunicação. Tem como objetivo disseminar práticas sustentáveis que contribuem para o aumento da renda do pequeno produtor rural e, ao mesmo tempo, ampliam a conservação dos recursos hídricos, o que soma esforços para a segurança hídrica do Sistema Cantareira.

Programa de Conservação do Mico-Leão-Preto

O Programa de Conservação do Mico-Leão-Preto foi a semente para a criação do IPÊ e é um dos mais longevos programas de conservação da fauna no Brasil. A pesquisa, com diversas inovações científicas, já ajudou a tirar o Mico da lista de extremamente ameaçado para uma melhor categoria. O programa envolve ciência, educação ambiental, plantio de florestas e influência em políticas públicas. Os esforços de conservação, que iniciaram em 1984, já surtiram efeitos muito positivos para a espécie, como a mudança de categoria de ameaça e apoio a criação de Unidades de Conservação.

INCAB - Iniciativa Nacional para Conservação da Anta

Pesquisa científica em quatro biomas sobre o maior mamífero terrestre da América Latina. O IPÊ tem o maior banco de dados sobre a espécie no mundo. Os dados buscam influenciar as políticas públicas para sua conservação, reduzindo atropelamentos e uso de agrotóxicos em lavouras, por exemplo.

Corredores de Vida no Pontal do Paranapanema

Isolados em pequenas áreas florestais, animais correm risco de extinção na Mata Atlântica. Para salvá-los, o instituto realiza o plantio de árvores que formam corredores para que eles transitem entre as áreas verdes e possam sobreviver. O projeto promove a conservação dos recursos florestais e hídricos,  neutralização de emissões de CO? e a garantia dos serviços ambientais em áreas no entorno de Unidades de Conservação da Mata Atlântica do extremo oeste paulista. São 12km de floresta e mais de 3,2 milhões de árvores  plantadas, gerando renda para as pessoas e integrando governo, ONGs e empresas.

100
colaboradores
10
voluntários

ODS adotados pela organização

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) integram a agenda socioambiental da Organização das Nações Unidas (ONU). São 17 temas humanitários que devem servir como prioridade nas políticas públicas internacionais até 2030. A meta é que todos os Países-membros da ONU implementem os 17 objetivos.

O que já realizaram até agora

O Instituto de Pesquisas Ecológicas já realizou:

Pesquisa direta para a conservação de 6 espécies da fauna nativa do Brasil;
O maior corredor de Mata Atlâtica reflorestado no Brasil;
Plantio de 4 milhões de árvores na Mata Atlântica;
Melhoria da categoria na lista vermelha das espécies para o mico-leão-preto (de criticamente ameaçado para em perigo);
Maior banco de dados do mundo sobre a anta brasileira;
Apoio na criação de UCs como a Estação Ecológica mico-leão-preto;
Educação ambiental oficialmente no currículo escolar de Teodoro Sampaio;
Alternativas sustetáveis de produção e renda que beneficou mais de 500 pessoas;
Soluções integradas para a Amazônia que beneficiam diretamente quase 40 mil pessoas em mais de 50 municípios nos estaods do Amazonas, Pará, Mato Grosso, Rondônia, Acre, Roraima e Amapá;
Formação e capacitação de 7.100 alunos pela ESCAS - Escola Superior de Conservação Ambiental e Sustentabilidade;
Mais de 10 mil pessoas beneficiadas todos os anos com pesquisa, geração de renda, educação ambiental e educação formal.

Próximos passos

Os sonhos do Instituto de Pesquisas Ecológicas são ambiciosos e extremamente necessários: 35 milhões de árvores no Sistema Cantareira, 5 mil hectares de florestas no Pontal do Paranapanema nos próximos 5 anos, pesquisa para a conservação de 6 espécies ameaçadas e ampliação do número de familias envolvidas em atividades sustentáveis em áreas prioritárias para a conservação da biodiversidade.

 

Conquistas

Margot Marsh de Excelência na Conservação de Primatas (The Margot Marsh Award for Excellence in Primate Conservation - 2016;
Wildlife Conservation (Cincinnati Zoo & Botanical Garden) - 2016;
"Guerreiro da Vida Selvagem" (Houston Zoo, EUA) - 2016;
Prêmio Visionaris - UBS ao Empreendedor Social (Suzana M. Padua) - 2017;
Excelência em Restauração Florestal, da Sociedade Internacional de Restauração Ecológica (SER) - 2017;
100 Melhores ONGs para se doar - Revista Época e Instituto Doar - 2017;
AZA's William G. Conway International Conservation Significant Achievement Award (Patrícia Medici) - 2018;
Lifetime Achievement Award (Suzana M. Padua) - 2018;
UBS Global Visionaris (Suzana Padua) - 2019;
Troféu Celino Rodrigues - 2019;
Prêmio Muriqui, na categoria Pessoa Jurídica / Reserva da Biosfera da Mata Atlântica - 2019;
National Geographic Society/Buffett Award for Leadership in Conservation (Prêmio National Geographic Society/Buffett para Liderança em Conservação) - Patrícia Medici - 2019;
Whitley Award - Gabriela Cabral Rezende (Programa de Conservação do Mico-Leão-Preto) - 2020;
Whitley Gold Award - Patrícia Medici (Iniciativa Nacional para Conservação da Anta Brasileira) - 2020.

 
 
 
 

"O IPÊ vem contribuindo para a proteção e valorização da vida no Brasil. Finalidades que agora se mostram mais importantes do que nunca. Esperamos, no futuro, continuar transmitindo nossos conhecimentos e valores, inspirando muitos a desfrutarem da vida em sua plenitude."

Suzana Padua
Presidente

Orçamento anual

R$ 15.666.000

Governança, contabilidade e idoneidade

Contato da ONG

IPE - Instituto de Pesquisas Ecológicas

Rodovia D. Pedro I, KM 47 - Nazaré Paulista (SP) - 12960-000

(11) 99634-3580 | andrea@ipe.org.br

https://www.ipe.org.br/ |     

voltar para impacto